quinta-feira, 11 de setembro de 2008

STRESS

“Durante vinte e cinco anos trabalhei nos escritórios de uma fábrica de calçado no Norte, perto do Porto. Sempre me pareceu um emprego seguro e procurei organizar a minha vida de acordo com essa perspectiva.
Casei, tenho dois filhos pequenos, ainda em idade escolar e o meu marido tem um ordenado que só dá para sustentar a casa e a família se também eu estiver a trabalhar.
No entanto, há um mês, a fábrica entrou em falência e eu fiquei desempregada.
Tenha agora 50 anos e muitas dificuldades em arranjar trabalho. Estou muito desorientada, cansada e angustiada e parece-me que o mundo desabou sobre a minha cabeça. Não sei explicar o que sinto, mas com tantas dificuldades e preocupações, até já pensei em desaparecer para sempre. Todos os meus familiares me dizem que o que eu tenho é «stress» e que preciso de consultar um médico ou um psicólogo. Talvez tenham razão; mas para isso é preciso gastar dinheiro que eu não tenho. Quando o meu folho viu o blog disse para recorrer aos seus conhecimentos e pedir-lhe

que me diga o que fazer para melhorar a minha saúde e poder ajudar a minha família.”



Minha senhora:
Embora a senhora possa estar lógica e «normalmente» muito angustiada e desorientada, a realidade que está a viver não é, infelizmente, invulgar e temos de conviver com ela do mesmo modo como se enfrentam os furacões na Ásia e na América do Sul. Por isso, a prevenção é muito importante.
Aproveite o convívio com o seu filho para ver os outros posts que falam de muitas situações anómalas pelas quais as pessoas passam e que enfrentam com determinação para as ultrapassar e até para conseguirem um modo de da melhor. Nada melhor do que enfrentar a vida com realismo e coragem.
Temos de ultrapassar as dificuldades!
Muitas situações de stress são iniciadas com factos que parecem não ter coisa alguma a ver com o mesmo. Parece não haver qualquer nexo de causa efeito.
Por exemplo, aquilo que a Germana relata e que consta na página 14 do livro acima citado é:
“...não se sentia bem com os amigos nem em qualquer outra situação. Parecia-lhe que todos olhavam para ela e a criticavam. Ficava corada e transpirava sem desejar e sem saber porquê. Não conseguia concentrar-se no trabalho e esquecia-se do que tinha de fazer.”Germana estava secretamente «amigada» com o seu chefe directo, um engenheiro, casado, que tinha por ela pouca consideração. A situação desagradável e incómoda em que se encontrava e a pouca satisfação que dela obtinha, deixavam-na com vontade de a evitar mas sem capacidade de o conseguir por sua iniciativa.
É um conflito com a necessidade de escolher entre duas respostas indesejáveis.
Em muitos destes casos a pessoa fica tão «baralhada», desesperada e desorientada que deseja
«desaparecer» e, nesse momento, o que lhe parece mais viável é o suicídio.
Consulte o meu post Divórcio ou Separação?, de 7 de Agosto, em que se fala da situação conflitual que se instala numa criança cujos pais estão para se divorciar. Algumas das perguntas que a criança faria a si própria, talvez numa angústia muito grande e sem resposta concreta e satisfatória seriam:
O que posso fazer para evitar um mau desfecho?
Até que ponto e de que maneira poderei dominar a minha ansiedade?
Como resolver a minha vida depois?
É bom compreender o que aconteceu com a Isilda (Depressão? Não Obrigado!) antes de tentar o suicídio.
Se a situação da Cristina (Sucesso na Vida! Por Que Não?) se prolongasse por muito tempo e ela não conseguisse «ajustar» a sua vida às necessidades reais do momento, talvez também ela entrasse em depressão.

Hoje em dia, resolveu-se falar muito em stress por tudo e por nada. Segundo dizem, o stress até
«acontece» depois das férias!
O stress é necessário e imprescindível ao longo da vida e para o nosso «progresso» do mesmo modo como são a revolução e o conflito. Contudo, do mesmo modo como a fome é necessária para controlarmos a ingestão correcta de alimentos, um défice ou um excesso pode ocasionar subnutrição ou obesidade. O mais importante é que tudo esteja dentro das medidas adequadas para cada um. Em casos como o seu, os exercícios de relaxamento e tudo aquilo que a Cristina fez (pags. 51 a 59) preparam uma pessoa para compreender perfeitamente o modo como poderá orientar a sua vida apesar das dificuldades que vão surgindo a todo o momento. Acontece com todos, mas alguns gerem as situações melhor do que outros porque adquiriram mais conhecimentos e exercitaram-se o suficiente para as poderem «dominar» tornando-as, às vezes, favoráveis para o futuro.
Um dos factos muito importantes, nestes casos, é aprendermos a ultrapassar a situação desagradável
da maneira mais proveitosa possível e continuarmos a utilizar, no futuro, o resultado dessa
aprendizagem.

Em breve, a Calçada das Letras vai publicar dois livros, um intitulado Acredita em Ti. Sê Perseverante e outro Finalmente Consegui! No primeiro, um técnico de economia e finanças conseguiu fazer sozinho uma psicoterapia (ou autoterapia) que beneficiou a saúde mental da mulher e da filha e melhorou o sucesso escolar desta; no segundo, uma técnica de comunicação social, com alguma ajuda, conseguiu deixar a vida promíscua em que se estava a envolver irremediavelmente para começar uma nova etapa cheia de um futuro promissor familiar e profissional.
Por enquanto, se estiver interessada em atingir um bom resultado praticando os exercícios que são indicados, também pode ler Psicoterapia Para Quê? para saber o que aconteceu com o Januário, marido da Germana.

Nisso, o livro da JOANA  pode ser de extrema utilidade porque todas as informações técnicas são dadas em linguagem muito simples, com exemplos da sua prática no dia-a-dia.

Em 2018, já existe na colecção da Biblioterapia o 18º livro «PSICOTERAPIA… através de LIVROS…» (R), destinado a orientar os interessados para a leitura e consulta adequada de livros, desde que desejem enveredar por uma psicoterapia, acções de psicopedadogia, de interacção social e de desenvolvimento pessoal, autonomamente ou com pouca ajuda de especialistas. 

Consultou todos os links mencionados neste post?

Já leu os comentários? Visite-nos noFacebook.

Clique em BEM-VINDOS

Ver também os posts anteriores sobre BIBLIOTERAPIA
É aconselhável consultar o ÍNDICE REMISSIVO de cada livro editado em post individual.

Blogs relacionados:
TERAPIA ATRAVÉS DE LIVROS para a Biblioterapia

Para tirar o máximo proveito deste blog, consulte primeiro o post inicial “História do nosso Blog, sempre actualizada”, de Novembro de 2009 e escolha o assunto que mais lhe interessa. Depois, leia o post escolhido com todos os comentários que são feitos. Pode ser que descubra também algum assunto acerca do qual nunca tivesse pensado.

Para saber mais sobre este blog, clique aqui.

 .




6 comentários:

Anónimo disse...

Estes posts não serão mais moralistas do que práticos?

Anónimo disse...

Já li os livros indicados que foi difícil adquirir.
No futuro espero comprar pela INTERNET.
Obrigada. Já me sinto um pouco melhor.
Não sei como teria dinheiro para uma só consulta que custaria mais do que os cinco livros que comprei.
Sou a Guilhermina que originou a sua resposta.

Anónimo disse...

Embora possam parecer moralistas, com o tempo que tenho agora disponível, li quase todos os posts e até os do psyforall.blog.com.
Alguns até serviram.
Comprei o SUCESSO NA VIDA Por Que Não? que foi indicado à Guilhermina e faço o treino que a Cristina fez.
Vou comprar os outros livros indicados com os quais devo gastar menos do que numa consulta!
Já estou a manter um diário e penso iniciar a auto-análise.
A minha vida, que não era má, melhorou substancialmente.
Estou a conseguir trabalhar melhor.
Mantenha o blogue que pode ajudar outras pessoas.

Anónimo disse...

Gostei desta informação e, porque li os comentários, fui comprar nas Amoreiras os livros sobre STRESS, PSICOTERAPIA PARA QUÊ?, SUCESSO NA VIDA, PARA QUE SERVE A PSICOLOGIA?
Foram os únicos que encontrei mas serviram-me imenso nas últimas duas semanas.
Continue com o blog porque há muita gente que necessita de ajuda.
Nos próximos dias pode ser que uma pessoa minha amiga lhe faça uma pergunta específica relacionada com ela, que também vai lendo os seus livros e os seus novos posts, tal como eu.

Julieta disse...

As suas informações ajudaram-me a
fazer aquilo que recomenda da página 51 a 66 do livro SUCESSO NA VIDA! Por Que Não?
Agora, não me sinto tão mal como me sentia quando soube que ia perder o emprego, sem saber o que seria do meu marido que está numa fábrica de automóveis.
Felizmente, eu melhorei e ele continua na fábrica.
Os nossos filhos já estão mais calmos.
Obrigada.
Pode chamar-me Julieta.

Lourenço disse...

Uma amiga minha emprestou-me os livros que tinha comprado e aconselhou-me a fazer o que ela ainda continua a fazer.
Começando a ler esses livros e a consultar o blog, não necessitei de fazer pargintas. Depois de começar a praticar, muito a custo no início, fiquei entusiasmado com o comentário da Julieta e continuei a insistir no treino necessário. Sinto-me muito melhor e não sei o seria da minha vida porque não tenho posses para ir a um psicólogo.
De psiquiatras e medicamentos nem falar é bom. Já lá estive há dois anos e sei o que passei.
Sou a pessoa amiga da «anónima» que fez o comentário no dia 18 de Outubro.